Sonhei com Iansã

O terreiro era quadrado, de chão de terra batida. Ao fundo eu via o congá com suas imagens e alguns quadros e vasos pendurados na parede. Essa era a única parede que eu via – todo o resto era um breu total, como se estivéssemos todos suspensos no espaço infinito.

O dirigente veio até mim e pediu que eu trouxesse a força de minha mãe ali. Consenti, posicionei-me à frente de todos e me concentrei. Ela me envolveu. Senti realmente o seu abraço à minha volta. Nunca tinha sentido nada igual na vida, não que eu me lembre. Ouvia uma brisa constante soprando em volta de mim, como se fosse um turbilhão. E de repente ela começou a girar. No início fiquei com receio da vertigem, mas ela me apertou no abraço e eu me soltei. Eu girava, e girava… era um giro suave, embora eu tivesse certeza absoluta de que ela estava girando numa velocidade sobre-humana. Eu estava de olhos fechados, mas via tudo mesmo assim.

Perdi a consciência naquele giro, e me vi pairando a poucos centímetros do chão, vendo tudo como os outros viam – ela era magnífica!

Um cone de ar levantou aquele ser magnífico do solo e ela ficou girando e expelindo fagulhas para todos os lados, pairando a uns dois metros do solo.

Depois, o giro foi suavizando e ela desceu até ficar a um metro do chão. O turbilhão continuava embaixo dela, girando, mas agora nós podíamos vê-la. Sua pele era escura, e ela vestia roupas típicas do panteão yorubano.

Seus trajes eram brancos e refletiam uma luz opalina. O tecido parecia transparente, feito de energia pura. Não podíamos ver seu rosto – ele estava encoberto por um véu de pequeníssimas pedras diamantadas que lhe desciam até o queixo. Mesmo assim, eu podia perceber que ela sorria e olhava para mim… me sentia tão feliz!

Nas mãos ela carregava dois machados reluzentes e prateados. Conforme ela fazia movimentos com eles, cruzando e batendo um no outro, raios de luz branco-azulada se desprendiam – era um show de luz, som e energia que eu nunca tinha presenciado.

Por fim ela parou, o turbilhão sob seus pés recrudesceu. Ela cruzou os braços sobre o peito, e baixou a cabeça em forma de reverência. Desceu lentamente até que seus pés, descalços, tocassem o solo, e ali ajoelhou-se.

Nesse instante, eu voltei à consciência e novamente estava unida a ela. Fui até o dirigente e entreguei um dos machados a ele. Depois, depositei o segundo machado prateado no solo, onde eu deveria ficar na corrente daqueles filhos de fé, e ali mesmo caí ao chão, desacordada por alguns segundos. Voltei a mim ainda sentindo a pele como que eletrificada – pequenos choquinhos e luzes estavam por todo o meu ser. Eu tocava meu braço e pequenos raios se soltavam.

Acordei. E ainda estou com aquela sensação gostosa no peito. Acho que ainda não estou totalmente em mim. Aliás, nem sei mais se serei a mesma de pois dessa experiência tão magnífica, difícil de descrever em palavras.

Epa rei, Yansã! Salve a mãe do vento, da fagulha e do trovão!

Obrigada mãe, por essa visita tão maravilhosa.

Anúncios

3 pensamentos sobre “Sonhei com Iansã

  1. oi, eu tive um sonho com iansã. Ela apareceu no sonho na forma de uma antiga colega de escola. nem sei porque, pois faz muito tempo que terminei a escola, hoje sou formado. no sonho, quando ela apareceu, um turbilhão de vento soprava violentamente por detrás da figura feminina (minha colega) que estava em minha frente, o vento era quente, como se fagulhas de calor riscassem meu rosto. por incrível que pareça, eu não parava de olhar para a figura feminina, aquilo me dava prazer, mesmo com o vento muito forte na minha face.
    no sonho ela me falou algo como: eu sou iansã e sei exatamente do que você gosta!
    Eu gostaria de saber se esse sonho pode ter um significado mais profundo, pois eu não frequento essa religião, e não sabia nada sobre esse tipo de coisa. assim que acordei eu fui p o pc pesquisar na internet e ler sobre essa mulher e vi q sonhei com ela exatamente no dia dela. fiquei muito surpreso, foi muita coincidência.
    vc poderia me mandar um email p eu saber mais?

    • Marcus, boa tarde. Você pode aprender mais acessando os vídeos do Alexandre Cumino na internet.
      Temos também muitos cursos disponibilizados pela plataforma Umbanda EAD.
      Além disso, os livros de Rubens Saraceni são ótima fonte de pesquisa e orientação.

      No momento, posso lhe dizer que Iansã é a Orixá que faz par magnético com Ogum. Ambos são considerados os Orixás regentes da Lei Maior de Deus. Seu elemento é o ar e seu mistério maior é o DIRECIONAMENTO. Então, quando precisamos de direção na vida, e a esta mãe orixá que pedimos.
      Iansã vibra nas cores amarela e vermelha. É representada como a senhora das tempestades e dos raios.

      Isso é pouco perto do grande mistério que é Iansã. Por isso, leia, instrua-se. Você há de gostar de que vai encontrar.
      Axé!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s