Encontro noturno…

Ontem vi seu rosto… e parte do que eu intuía, confirmou-se. Foi durante o trabalho magístico que ativei em meu benefício, por volta de 9 da noite. Depois da magia ativada, sentei-me no chão, deixando que o Mistério agisse alguns minutos antes de voltar às minhas atividades normais. Fechei os olhos e o vi “entrar” por um portal aberto às minhas costas. Como sempre, apareceu envolto numa capa preta com capuz. Eu via apenas a ponta de seus pés, calçados. Ele deu dois passos em minha direção e colocou a mão no meu ombro… senti tanto carinho naquele toque, que me emocionei. Sei que ele também estava emocionado, porque ouvi nitidamente sua voz dizer num sussurro:

Filha…

E muitas lágrimas rolaram então, enquanto ele acocorou-se encostado na parede do meu lado direito. Num piscar de olhos ele retirou a capa e ela sumiu como por encanto. Ele trajava a vestimenta dos templários. É grande, massivo, eu diria – braços fortes, mãos grandes. Me sentia uma criança perto dele. Ele fez um leve movimento com a mão esquerda, na direção de seu assentamento, e o punhal que está lá como que “voou” até ele. Ele desembainhou o punhal e ficou olhando a lâmina, como que a examiná-la por uns instantes até que eu me acalmasse. Depois, embainhou-o novamente, e o punhal desapareceu no ar.

Ele trajava uma malha de aço que cobria sua cabeça e braços, luvas de couro marrom surradas, e uma túnica branca com uma grande cruz vermelha no peito. Seu rosto é muito bonito.

Ao contrário do que eu imaginava, ele tem feições largas como as dos bretões. Barba e bigode bem aparados. O tom dos cabelos e da barba é de um louro escuro, muito bonito (e eu que sempre imaginei que ele tivesse o rosto fino, limpo, sem barba, e os cabelos muito pretos e lisos… algo quase vampiresco mesmo… rs…). Os olhos são de um azul claro acizentado e a pele, clara também.

Enquanto eu o via mentalmente e fazia essas observações achando-o bonito, ele me disse:

E como um Guardião do Amor poderia ser feio? Nunca!… Minha feiúra eu guardo àqueles que precisam dela… hahahaha!

Eu também ri internamente. E ele continuou:

Devo até te dizer que tenho muitas damas aguardando pacientemente por alguns minutos de minha atenção, se queres saber…

E desta vez o sorriso foi tímido, de canto de boca. Acho que o repreendi em pensamento, ao que ele respondeu:

Nah! Que nada… eu as amo todas, com igual devoção. Aliás, amo todas as filhas de Eva… são as criaturas mais belas que Deus criou…

E eu percebi que ele era sincero – o amor que emanava dele… era algo quase palpável, como um abraço quente, um carinho de mãe, o ronronar de um gato, tudo junto e ao mesmo tempo. Entendi porque elas esperam por ele pacientemente. E ele me retribuiu a compreensão com um sorriso lindo.

E então ele novamente ficou sério e continuou:

Filha, tem paciência. Aquilo que pedes é teu por direito. Não encontrarão ninguém melhor que tu, verás. Mas quando fordes chamada, será na hora certa, e não no momento em que tu queres. Sossega teu coração e vive um dia após o outro apenas. Sorve as alegrias que tens, e deixa de lado as tristezas…

Ele fez uma pausa, e eu chorava muito. Colocou novamente a mão no meu ombro e continuou:

Eu sei que é difícil. Já estive aí, onde estás hoje… e Deus sabe que não tenho a mínima intenção de voltar! Hahaha!… Mas o que é necessário que vivas, ninguém viverá por ti. Então sossega teu coração. Nós nunca te abandonamos, tu sabes disso. Nunca deixamos que nada te falte. Portanto, sossega. Tua hora também chegará.

E com isso ele se levantou e puxou a capa sobre os ombros que, milagrosamente, surgiu do nada e cobriu-o por inteiro novamente. Ele mais uma vez pôs a mão direita em meu ombro e apertou-o:

Fica com Deus…

E com a mão esquerda fez o sinal da cruz no ar.

Ele se virou e entrou pelo portal por onde viera. E eu fiquei ainda alguns minutos tentando conter o choro. Respirei fundo, agradeci a visita, e voltei “pro mundo”.

Impossível descrever toda a emoção do encontro com esse Guardião que, a cada dia que passa, eu admiro mais. A serenidade que emana dele parece não combinar com seu tamanho e austeridade. Parece que nada, nem ninguém, o abala. E ainda assim ele é capaz de gestos de doçura inimagináveis. Sou grata por sua dedicação e carinho. Hoje e sempre.

Laroyê Exu Morcego! Exu Morcego é mojubá!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s