Vida de médium

Para aqueles que não são médiuns atuantes de incorporação ou de qualquer outra “modalidade” mediúnica, a vida de um médium de Umbanda soa, no mínimo, enigmática.

Todo mundo que me conhece, por exemplo, quando se depara pela primeira vez com o fato de que eu sou médium de incorporação, e ainda por cima, na Umbanda, tem aqueles 15 segundos de hesitação:

Mas, ela é médium? Mas… é uma pessoa tão legal…

Não, mas… como assim? Ela disse que é médium… e de Umbanda! Isso é coisa de gente ignorante, não pode ser… ela é tão inteligente…

E por aí vai… tenho certeza que a maioria pensa exatamente isso. Fico contente de perceber que, após o primeiro impacto, a maioria acaba usando o fato de ter amizade comigo para perguntar, se instruir, conhecer um pouco mais sobre esse lado “oculto” da minha vida.

E daí vem aquele segundo momento em que a pessoa passa a ver o médium como alguém quase “santo”. Nesse instante, qualquer deslize, qualquer palavra mal pesada, qualquer risada mais alta, qualquer palavrão falado de brincadeira, é motivo para a pessoa misturar as coisas:

Eu sabia… esse negócio de mediunidade não podia ser coisa boa… achei que ela era uma pessoa melhor.

Ah, sabia! Esses “cultos” cheios de superstições arcaicas só podiam atrapalhar a cabeça dela mesmo…

E então passamos da quase idolatria ao descrédito total.

É imperioso que as pessoas entendam que médium é, antes de tudo, um espírito em evolução como qualquer outro. O médium ama, odeia, xinga, grita, briga, toma banho, come, toma porre, se diverte, assiste sacanagem, enfim, vive a vida da melhor maneira que consegue. Mas… não como qualquer um.

A vida do médium é, muitas vezes, mais complicada que a da maioria das pessoas. O médium atuante sabe, imediatamente, quando pisou na bola. Ele não só tem sua própria consciência já desperta (na maioria dos casos), como também tem todos os seus guias para lhe apontar o desvio de conduta. Por isso, paciência e humildade são importantíssimos para o médium – ele deverá corrigir seu curso de vida a todo momento e, ao contrário da maioria, terá seus defeitos apontados a todo momento para que tome consciência deles e os corrija, de preferência, ainda na carne.

Além disso, tem todo o processo energético envolvido no assunto, dos quais o médium é “vítima” 24 horas por dia. Médium atuante não pode se descuidar… outro dia mesmo abracei uma colega e quase desmaiei no instante seguinte. Porque? Porque médiuns são como esponjas – sugam a energia negativa das pessoas, tem seus campos abertos para receber espíritos perturbados, perdidos, sofredores… sabe aquele seu amigo que faz você se sentir super bem, não importa como você esteja? Pois é… ele doa energia a você sem nem mesmo perceber. Você despeja seus problemas em cima dele, ele absorve tudo aquilo, e você sai mais leve. É a Lei – quem tem mais doa a quem tem menos.

É fácil viver assim? Não, não é. Mas, se me perguntassem mil vezes se eu gostaria de ser diferente, eu diria um sonoro NÃO.

Alguns dizem que a ignorância é uma bênção. Eu digo que ela só é uma bênção quando você ainda não tem condições de compreender, aprender e evoluir. Do contrário, ignorância é atrapalhação, perda de tempo, atraso de vida.

Prefiro mil vezes o tormento de saber que errei e que preciso consertar o erro, do que ignorá-lo totalmente. Prefiro mil vezes compreender que as rédeas de minha vida estão em minhas mãos, do que ajoelhar-me todos os dias rezando a um “deus” que me trata feito criança e governa minha vida. Prefiro mil vezes saber de onde vim, porque esotu aqui, e para onde pretendo ir, do que viver feito sonâmbula nesta Terra. Prefiro mil vezes doar energia a quem tem menos, servir de portal aos que precisam de auxílio, da que ignorar as verdades espirituais.

Então, por mais que seja complicado a um não-médium compreender, é preciso que haja, sobretudo, respeito. Seu amigo médium, sacerdote, ou seja lá o que seja, é uma pessoa. Ele não é perfeito, se fosse, não estaria encarnado. Mas… ele está tentando acertar. E, enquanto tenta, ele se doa todos os dias. Doa seu tempo, doa sua paz, doa grande parte de seus afazeres, enfim, doa de sua essência divina ao engrandecimento de parte da humanidade. E quantos podem dizer que fazem o mesmo?

Pensem nisso.

Fiquem em paz.

Namastê!

Anúncios

11 pensamentos sobre “Vida de médium

  1. Estava procurando justamente um assunto para uma palestra na casa espírita que eu frequento, adorei seu tópico, realmente as pessoas tem uma ideia muito distorcida sobre a mediunidade, ou é coisa “errada” ou somos “deuses”, parabens pelo artigo.

    • Obrigada, Alexandre. Sinta-se a vontade para utilizar a idéia na sua palestra, viu? Acho que todos nós, um dia ou outro, nos sentimos assim… 🙂

  2. Muito bom! Infelizmente a maioria das pessoas não fazem nem ideia do que é sem médium. Já me peguntaram se eu gostava de ser assim, como se fosse uma doença… rsrs… a resposta é sempre rapida… um cego que “aprende” a ver, gostaria de voltar a ser cego? Acho que não…. Apanhar um pouco faz parte do aprendizado, não é prazeroso, mas faz parte do caminho. E ter o prazer de viver ao lado das entidades, que sempre nos ajudam tanto é sem duvida nenhuma uma grande honra.
    Um beijo, Carina

  3. Eu adorei tudo que vc disse, sinto tudo que vc sente e estou desenvolvendo num terreiro que me faz sentir que estou acolhido!!!! Já acreditei que ficaria louco vendo coisas que ninguém via e principalmente sentindo dores , enjouos ao entrar em locais ou tocar em pessoas… principalmente em lugares com muitas pessoas. Fico feliz em ler um texto de alguem que com uma visão clara da vida e de seus fenômenos!!!! Axé

  4. Nossa… fico mais tranquila em saber que existem pessoas passando pelo mesmo que eu passo. Muitas vezes vou em lugares e sinto energias pesadas, enjoos… vc tem alguma dica para melhorar essa absorcao de energias?

    • Oi Carol, obrigada pela visita.
      Na verdade não há como evitar, se você é médium precisa estudar, aprender a se “limpar” energeticamente. O melhro seriamque você procurasse um curso de desenvolvimento mediúnico, para então aprender como controlar o processo, protefer-se e limpar-se. Não sei bem onde você mora, mas acredito que fazendo uma busca pela internet você há de achar um local próximo que possa te auxiliar.
      Um abraço, e volte sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s