As Cartas de Cristo – Parte 59

Carta 4 – Parte 10 – RECOLOCAR A MULHER EM SEU LEGÍTIMO LUGAR

(clique para ler no site do STUM)

Vocês do mundo Ocidental ganharam o desprezo do Oriente devido a sua loucura decadente. Vocês não escaparão daquilo que semearam.

E vocês do Oriente não escaparão da insensatez de suas atitudes insensíveis para com suas mulheres, que dão à luz e criam seus filhos e preciosas filhas. Alguns de vocês, por ignorância da VERDADE, por seus propósitos gananciosos e egoístas, ridicularizaram a Verdade de Maomé!

Vocês cobriram suas mulheres com pesados vestuários, negando a elas a liberdade de movimento e o ar fresco de Alá, quando elas se aventuram a sair entre as pessoas. Que tipos de homens apelarão para estas crenças e comportamentos egocêntricos e irracionais? Apenas aqueles que não tiverem nenhum sentimento amável para com as mulheres. Seriam estes os seguidores que o Profeta Maomé teria atraído quando estava na Terra? Realmente não. Ele atraía somente as mentes mais espiritualizadas do povo.

Que imagem de seu Profeta vocês estão passando para o resto do mundo? Direi a vocês – a de um homem demente e obcecado pela inferioridade do sexo feminino, que considera a mulher como uma posse do homem a ser mantida isolada do mundo. Um homem desconhecedor das verdadeiras necessidades da mulher para ser feliz, um homem inconsciente do sofrimento dela no estado de cativeiro e submissão.

Este homem não tem nada a ver com o verdadeiro Maomé, o Profeta do Islã. Quando esteve na Terra, ele venerou e respeitou o sexo feminino.

Foi a partir do sexo feminino que ele extraiu o modo de avançar em seu caminho espiritual rumo à iluminação. Ele devia muito a elas e sabia que eram iguais em espírito, ainda que fossem diferentes em corpo.

De fato, não foi por acidente que ele veio à Terra, pobre e necessitado, para encontrar uma senhora de extrema virtude, riqueza material e discernimento espiritual, para ajudá-lo a elevar-se à altura de Profeta, quando estava pronto para isso. Este foi o propósito por trás da vinda de Maomé à Terra – restabelecer a mulher em seu legítimo lugar – uma parceira de mesmo nível do homem dominante.

Considere bem isso: depois da iluminação, eu, na pessoa de Jesus, tornei-me celibatário porque assim o quis, mas isto de nenhuma maneira interferiu no meu amor para com as mulheres que se ocupavam de minhas necessidades.

Mas Maomé, depois da iluminação, “conheceu” muitas mulheres e seu ministério foi aquele de quem foi chamado para aprender a viver com as mulheres e tratá-las com igualdade e com amor.

Do mesmo modo que a conveniência incitou meus seguidores a relatar minha obra e ensinamentos de maneira seletiva, a fim de promover seus próprios interesses, assim também o egoísmo de certos indivíduos que eram espiritualmente cegos os fez distorcer os ensinamentos originais de Maomé, com numerosos acréscimos e interpretações que nunca foram a sua intenção. Desta forma, a obra de todo grande Mestre espiritual é coberta pela desinformação do pensamento humano até que a Verdade seja envolvida pela falsidade e que as pessoas sejam seriamente desviadas e mesmo caiam em pecado por ignorância.

Pelo fato de que certas religiões aderiram fortemente à crença de que Adão e Eva foram criados para viver felizes no jardim do Éden, de que Eva foi tentada pela serpente, caiu em desgraça e tentou Adão, o homem vê a mulher como a grande tentadora.

Porém as origens imaginárias da humanidade não são verdadeiras. São apenas uma representação simbólica. Também não é verdade que a mulher seja a grande tentadora.

Para os eunucos a mulher não tem nenhum atrativo. E por que é assim? Porque é retirado deles aquilo que impulsiona o homem a deitar-se com uma mulher. Portanto, onde está o tentador? No próprio homem, – em quem pode ser removido fisicamente, – ou na mulher, que continua sendo ela mesma apesar de tudo?

O homem foi feito expressamente para plantar a semente. Assim, ele deve plantá-la – onde ele veja a oportunidade.

A mulher foi feita para receber a semente. No passado, antes do século vinte, as mulheres eram sexualmente inativas até serem seduzidas pelo homem. Onde está então o tentador? No homem que desperta e seduz, ou na mulher despertada e seduzida? Em nome da pureza, o homem esteve escondendo de si mesmo a sua própria natureza masculina e colocando a responsabilidade de sua queda na mulher. É esta uma atividade sagrada? É digna? Deve continuar assim?

NÓS falamos àqueles de vocês que dizem seguir a fé muçulmana e que acreditam que estão “sem pecado” ou com a “mente pura” por terem envolvido as suas mulheres em pesadas roupas, para protegerem a si mesmos da tentação e para evitar que outros homens vejam suas “posses”. Vocês estão fortemente enganados pelas suas paixões. Tentando se proteger do exercício de seus desejos humanos, vocês simplesmente os aumentam até o ponto em que eles explodem de uma forma brutal e virulenta.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s