As Cartas de Cristo – Parte 68

Carta 5 – Parte 5 – A VERDADEIRA NATUREZA DA MENTE DE DEUS

(clique para ler no site do STUM)

Também me foi dado “ver” as comunidades de partículas vivas, que a ciência chama de “células”, trabalhando dentro de todo ser vivo. Eu estava consciente da Harmonia Divina controlando o funcionamento das células, as quais ativamente construíam e mantinham as distintas partes dos corpos físicos de todas as criaturas vivas e das plantas, grandes e pequenas. Por essa razão, utilizei frequentemente a paisagem para dar exemplos da imanência e da atividade do “Pai” nas menores manifestações da vida selvagem – como nas plantas e nos pássaros, por exemplo.

Como expliquei com clareza nas Cartas de 1 a 3, chamei a “MENTE DE DEUS” de “Pai” porque pude “ver” – perceber – a verdadeira natureza da “MENTE DE DEUS”. Eu estava seguro de que retornando ao povo da Palestina para descrever as revelações que havia recebido, eles compreenderiam que suas crenças, as quais tinham sido gravadas em suas consciências pelos rabinos, eram completamente falsas.

Eu vi que a verdadeira natureza da “MENTE DE DEUS” era a forma mais elevada do Amor Divino e que isso podia ser visto consistentemente ativo em cada ser vivo.

Como disse anteriormente, esse conhecimento me permitia fazer “milagres” e controlar os elementos onde fosse oportuno e necessário.

Assim como me dediquei a explodir os mitos que aprisionavam as mentes dos Judeus da Palestina, eu agora anseio mostrar a vocês que muitas das teorias propostas por seus cientistas surgiram como uma forte reação aos dogmas e doutrinas da Igreja anos atrás.

Para compreender esta afirmação você deve perceber que, antes do tempo de Darwin, quando várias Igrejas Cristãs tinham a mente do povo sob seu domínio, era geralmente aceito que o Universo havia sido criado exatamente como estava escrito no Gênesis do Velho Testamento bíblico. Quando os homens da ciência tentaram anunciar suas descobertas e teorias, foram obrigados a descrever suas novas crenças na presença de uma enorme oposição religiosa. Em consequência, eles acreditaram ser necessário utilizar grande parte de sua energia mental para provar que as afirmações dos Profetas eram errôneas.

Mas ao fazer isso, esta estratégia causou a perda de sua clareza de visão, e eles se tornaram impulsionados pelo ego. Daí em diante, qualquer percepção intuitiva que fosse proposta por alguém da comunidade científica era ridicularizada, rejeitada e posta de lado por outros cientistas. Por causa desse clima mental, o pêndulo da investigação da “Verdade” oscilou exclusivamente para a invariável crença na razão e na lógica, aprisionando o intelecto humano no materialismo, ao buscar as respostas acerca das origens da vida e da existência.

Assim, é absolutamente necessário para mim refutar algumas “teorias científicas” e mostrar que são tão errôneas quanto as chamadas “verdades” da Doutrina Cristã. Ao chegar a algumas destas “teorias”, tanto os cientistas como os homens da Igreja têm mergulhado no reino de absurdas suposições não provadas, para responder a perguntas que não poderiam ser respondidas somente com a mente terrena.

Mesmo tendo a ciência relatado que a substância de seu mundo material é composta basicamente de partículas elétricas que estão em movimento com grande velocidade no “espaço”, ela é incapaz de explicar “por que” tais “partículas de energia” tomam a forma e a densidade da “matéria”. Ela apenas afirma que existem forças de fusão que casualmente criam os elementos.
A ciência não pode dizer a você qual é a “Força de Motivação” que atrai as partículas que formam os elementos.

A ciência tampouco pode explicar de onde vêm originalmente tais partículas de energia. Apenas afirma que foram liberadas durante o Big Bang, o qual, acreditam, deu o primeiro impulso para a criação. Por que um repentino “Big Bang”? – Do quê? Qual foi o Fator de Motivação por trás dele?

A ciência fala de eletromagnetismo, porém não pode dizer de onde vêm tais energias que aparecem e desaparecem. Para onde vão? Por que vão? De uma perspectiva humana, não parece haver atividade inteligível dentro ou por trás desse trabalho.

A ciência diz que o eletromagnetismo “simplesmente é” – um simples fato da existência – ainda que produza um trabalho altamente inteligente e intencional, sob a forma de milhões de bilhões de substâncias das quais é feito o Universo. Como acontece isso?

Não há nada que o eletromagnetismo tenha tornado visível, que a mente humana possa considerar como sem propósito ou sem significado.
A ciência ignora este mais básico e vital nível da criação. Sem uma resposta para o porquê tudo o que é trazido para a manifestação visível, através da atividade das energias gêmeas do eletromagnetismo, que sempre tem um propósito, tem êxito e é racional – nada de valor se descobrirá na busca de suas origens.
Até que a ciência possa testar e descobrir a Realidade do espaço no qual as partículas elétricas do “ser visível” estão apoiadas, a ciência ficará sempre por trás das portas fechadas do materialismo. O acesso à Verdade eterna e à sabedoria universal estará sempre bloqueado e ela permanecerá encerrada unicamente dentro das amarras da razão – razão esta que é somente o produto da atividade finita das células do cérebro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s