As Cartas de Cristo – Parte 70

Carta 5 – Parte 7 – CONSCIÊNCIA E CONHECIMENTO, A PRESENÇA DE VIDA INTELIGENTE

(clique para ler no site do STUM)

E agora – a primeira célula viva merece a plena atenção de qualquer um que esteja buscando seriamente a dimensão espiritual e a Fonte Principal da Existência – porque a primeira molécula viva e a primeira célula viva são a primeiríssima evidência de alguma atividade inteligente dentro da “matéria” – dentro do Universo.

O primeiro traço mostrando sensatez e sensibilidade é a função da membrana que envolve a célula, fornecendo proteção e individualidade. Pense neste fenômeno “milagroso”. A célula absorve do ambiente somente o alimento selecionado através da membrana. Não só absorve o alimento correto, mas depois de nutrir-se ainda elimina o resíduo através da membrana permeável.

Você deve perguntar a si mesmo: como pode a membrana “puramente física” da célula, invisível a olho nu, ”distinguir e selecionar” o alimento correto objetivando aumentar seu bem-estar e ter suficiente discernimento para desfazer-se da matéria tóxica não desejada?

Você não vê um alto grau de propósito em toda esta atividade? Você pode acreditar que este propósito seja acidental?

E o PROPÓSITO não é a grande marca da inteligência?

E mais: a membrana da célula continua a fazer esse trabalho de selecionar o alimento e descartar a matéria tóxica, em bilhões de bilhões de diferentes circunstâncias e condições relacionadas com a sobrevivência de diferentes espécies, em diversos ambientes. Isso não é a evidência do PROPÓSITO que se mostra dentro de cada ação de cada espécie, sejam insetos, plantas, répteis, aves, animais ou seres humanos?

Não seria possível descrever o universo como o consistente e constante IMPULSO do PROPÓSITO tornado visível no reino da “matéria” visível?

O espírito do PROPÓSITO é um elemento físico, – ou um elemento da “consciência”?

E se você pode aceitar que o PROPÓSITO é um impulso inegável de criatividade por trás da EXISTÊNCIA, então pode passar para a próxima percepção: seu universo é a manifestação visível de “uma EVOLUÇÃO INTELIGENTE de causa e efeito” evidente na “matéria” viva. Pois se a célula viva pode selecionar o alimento correto e também eliminar o resíduo tóxico – esta simples atividade demonstra um conhecimento da necessidade de digestão e de eliminação de tal resíduo para assegurar a contínua saúde da célula. Isso não é uma clara indicação de uma EVOLUÇÃO INTELIGENTE de “Causa e Efeito”?

E mais – a Ciência diz que a célula contém um “núcleo” que poderia comparar-se ao cérebro humano, uma vez que transmite mensagens, e sua mais importante função é a de armazenamento de informação – a “livraria” que contém não somente os detalhes que se relacionam com uma célula, mas também os do corpo inteiro no qual ela reside!

O fato é que ao investigar a célula a ciência descobriu que esta, em si mesma, parece ser um sistema de “mensagens” químicas, transmitidas de um modo proposital, inteligente e inteligível. Como poderia acontecer isso se as origens das moléculas da célula fossem apenas elementos químicos inanimados? Você poderia duvidar de que por trás de cada “mensageiro com uma mensagem a transmitir”, há um pensamento inteligente ou consciência? E o que pensar da precisão das mensagens transferidas de célula para célula para assegurar a precisão da duplicação exata de certas espécies durante milhões de anos?

Em que momento da criação a “consciência” entrou nos organismos vivos? E como foi que o pensamento inteligente, que considera e decide, chegou ao campo da matéria inanimada inconsciente?

Sem a consciência inerente, como pode ocorrer tanta atividade informada e informante em uma célula que é invisível a olho nu? Tal atividade não é o produto da consciência/conhecimento, demonstrando a presença de vida “inteligente” em seu aspecto mais básico?

Uma simples célula viva em forma de bactéria pode mover-se sozinha e viver sua própria vida especializada e excitante no ambiente – ou – como um vírus, realizar seu trabalho especializado e mortal de atacar alvos específicos nos organismos vivos. Por outro lado, a célula pode estar fixa em um organismo, realizando seu trabalho altamente importante de construção e de manutenção de alguma parte do organismo. Tal trabalho produz “matéria viva” precisamente adequada – e necessária – ao órgão vivo sobre o qual trabalha, sejam partes do corpo humano ou de vida animal, ou vegetal, tais como os dedos dos pés do ser humano e o baço, ou a pele do animal e as presas, ou as escamas do peixe e a plumagem das aves, ou a copa das árvores e as folhas nos ramos, ou as pétalas das flores, ou as antenas das mariposas e suas asas diáfanas, a pele do réptil, dos crocodilos e seus dentes e os olhos da lula que mudam de cor segundo a sua necessidade de camuflagem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s