A Guardiã de Mistérios – Parte 2

guardiã 2

Quando finalmente terminou a solidificação da gaiola cristalina, virou-se e encarou o guardião que estava ajoelhado, de cabeça baixa, sem conseguir mover-se. A guardiã postou-se de pé bem junto a ele e, mentalmente, lhe disse:

Tu sabes guardião, que se eu te acompanhar, o Espírito do Fogo há de adiantar-se a mim, e há de queimar a tudo e a todos que me desejam mal. Então, te pergunto: queres mesmo que te siga?

Senhora… senhora, meu amo precisa de tua ajuda… ele… ele precisa… ele precisa que a senhora vá vê-lo…

Mesmo mentalmente, a voz do guardião tremia. A guardiã riu alto e complementou em voz alta:

– Ahahahahahaha! Mentira! Você mente e eu vejo porque. – ela então fez um movimento rápido com a mão direita – Está livre, levante.

O guardião, sem acreditar que conseguiria, levantou-se cambaleante. Era um esqueleto de quase 2 metros de altura, vestido apenas com uma capa negra.

– Agora tire esse capuz e me olhe nos olhos, guardião.

Ele retirou o capuz mas manteve a cabeça baixa.

– Senhora, eu…

– Eu mandei você me olhar.

O Caveira olhou para ela com seus olhos fundos e vermelhos. Os olhos da guardiã tornaram-se luz pura, irradiando pequenos raios aqui e ali. Ela penetrou nos olhos do guardião e seguiu pelos cordões negativos que o ligavam ao seu mestre. Na outra ponta daqueles cordões negros havia uma criatura descomunal, assentada em um trono negro. Ela então sorriu intimamente e retornou sua visão para o guardião à sua frente. No processo, queimou totalmente todos os cordões que ligavam a caveira ao seu mestre negativo.

O guardião, pressentindo que nada poderia ocultar dela, caiu de joelhos, chorando e implorando seu perdão, segurando freneticamente a barra de sua capa branca e luzidia.

– Senhora, por Deus, me ajude! Por Deus, senhora, eu lhe imploro! Serei teu servo por toda a eternidade, mas não me mande de volta!!!

A guardiã sabia que a caveira estava sendo sincera.

– Levanta guardião. Guarda tuas lágrimas para quando realmente precisar delas. Vamos, levanta.

A Guardiã segurou o Caveira pelas mãos e auxiliou-o a levantar. Conforme ele levantava, seu corpo perispiritual foi refeito. Era um belo homem jovem, que agora estava nu, coberto apenas pela capa negra que o distinguia. Quando viu-se regenerado, chorou ainda mais, e beijou efusivamente as mãos de sua benfeitora.

A guardiã puxou as mãos com delicadeza e disse:

– Chega, paremos por aqui. Nada mais de lágrimas. Vai e auxilia na proteção das jovens que se perdem e acabam sendo escravizadas por imbecis do tipo de seu antigo mestre. Você está livre, agora caminhe o caminho reto da Lei e da Ordem. Dá de você àqueles que têm menos, assim como eu dei de mim a você. Segue por esta passagem e obedece ao guardião mineral que te espera do lado de lá…

Ela ergueu a mão direita e abriu uma passagem dimensional. Do outro lado havia um guardião em vestes negras, com detalhes dourados aqui e ali. O guardião manteve sua posição de alerta com os braços cruzados acima do peito, mas saudou a guardiã com um aceno de cabeça. O antigo caveira passou pela passagem e esta fechou-se automaticamente.

A guardiã respirou fundo e abriu nova passagem à sua frente – agora via-se uma multidão de guardiões, todos perfilados em formação militar à direita e à esquerda do trono negro que ela havia visto. O ser assentado naquele trono tinha chifres enormes, pele vermelha, dentes pontiagudos e garras afiadas no lugar das mãos. Não é dos piores, pensou ela, e sorriu. Entrou pela passagem e imediatamente apareceu no corredor principal, com aqueles milhares de guardiões perfilados de um lado e de outro. Sua capa, antes alvíssima, agora estava negra e brilhante. O debrum, antes dourado, agora era vermelho-sangue. Por dentro, ainda podia-se ver sua roupa branca e o forro da capa era de um tom arroxeado bem escuro. Ela caminhou lentamente e, conforme caminhava, as legiões de seres iam caindo de joelhos. Muitos, milhares, gritavam mentalmente pedindo perdão e auxílio. Em instantes eram tantas vozes em sua mente que ela precisou respirar e concentrar-se, transmitindo, ao mesmo tempo e para todos, a sensação de paz e amor. Um pouco mais e as vozes cessaram – ela estava de fronte à escadaria negra que levava ao trono daquele ser trevoso.

Sua luz não me intimida, guardiã! Muitos vieram aqui brilhando, e jamais saíram… ahahahahahaha!

Ela percebia a raiva emanada por aquele ser. Ele queria subjugá-la mas, no entanto, ela entrara em seus domínios, colocara seu exército de joelhos e agora ousava olhá-lo nos olhos sem tremer.

A Luz não deve nunca ser temida. A Luz deve ser almejada, respeitada, amada. Um dia, até você há de aprender isso…

Porque não libera meus guardiões? Acaso tem medo deles?

Se prestar atenção, verá que estão de joelhos não por minha vontade, mas pela vontade da Lei. E, se olhar mais de perto, verá também que já não estão mais presos a você, portanto não são mais SEUS…

Mentalmente ele tentou comandar a um e outro, mas não conseguiu. Verificou então que todos os cordões negativos que os mantinham presos a ele haviam, magicamente, sumido… consumidos que foram pelo Fogo Divino. A besta urrou de ódio crispando suas garras nos braços do trono:

– Ah, maldita!!! Como ousa vir até aqui e me dizer o que fazer?! Eu não respondo a você, não respondo a ninguém! Ajoelhe-se se quer que eu poupe sua vida!

– Eu, ao contrário de você, tenho Mestre e Senhor: respondo à Lei e à Justiça Divinas… e só a elas me curvo.

– Pois então há de ficar aqui como minha escrava! Ahahahahahahahah…

– Se vou ficar, é melhor que faça deste local algo mais ao meu gosto feminino…

O ser tenebroso não teve tempo nem de piscar. A guardiã abriu ambas as mãos apontando-as para baixo e respirou fundo – chamas azuladas envolveram suas mãos e irradiaram-se em ondas de energia atingindo tudo e todos, ao mesmo tempo que paralisaram o ser em seu trono negro. Conforme aquelas ondas iam se movendo, muitos tomaram a forma de ovóides enquanto outros foram instantaneamente transfigurados e encaminhados a outras dimensões da vida. Houve gritaria e desespero por alguns segundos, até que tudo silenciou. As chamas azuladas estavam por toda a parte.

A guardiã então ergueu a mão esquerda e no mesmo instante materializou-se um alfanje de cabo negro brilhante e lâmina cristalina. Ela bateu com o cabo do alfanje no chão, e aquele trono inteiro, juntamente com o ser assentado ali, explodiu em luz com um estrondo ensurdecedor.

Os ovóides de Magos e Guardiões enterrados embaixo do trono foram libertos e o Trono Divino regente do local foi restituído à sua posição. Os ovóides dos guardiões negativos foram recolhidos e enviados às esferas transmutadoras, e as equipes de limpeza e socorro iniciaram suas tarefas de reconstituição da paisagem local.

(continua…)

Anúncios

Um pensamento sobre “A Guardiã de Mistérios – Parte 2

  1. BELÍSSIMO TEXTO….. Realmente,quer seja no âmbito hiperfísico, ou no meio físico da realidade multidimensional da Vida Eternamente Viva,o trabalho de um/a Guardião/ã é sempre merecedor,plenamente,de total apreço e respeito,haja vista sua ingente complexidade,bem como os ataques mais ou menos ostensivos das sombras e das trevas – sim,é óbvio,porque sombras e trevas não toleram mínima Luz que seja….. Tendo sido sagrada uma Guardiã da Palavra,inclusive pelo meu mais recente trabalho de orientação e advertência,sabendo,felizmente,brandir a Espada Flamífera Flamígera de nossa monumental Língua Portuguesa,e fazendo-o com mestria – relativa,mas real – eis que tal grau operacional funcional confirmou-se-me,acrescentando-me ainda mais e maiores responsabilidades no uso da palavra,sempre para alertar,advertir,construir – sou Guardiã da Palavra,não demolidora pela palavra – e congratulo-me,sinceramente,com todos os que,também Seres aguerridos a serviço da Lei e da Luz,atuam como Guardiães e Guardiãs – a valentia e o valor de tais Seres são algo de incomparável,admirável,mesmo. SALVE OS IMPÉRIOS DA LUZ!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s