Infantilidade blogueira…

Eu leio de tudo um pouco. Gosto de ler, gosto de confrontar minhas próprias crenças, minhas “verdades”.

Por isso visito alguns sites e blogs regularmente. Muitos deles publicam posts e matérias dos quais discordo, mas mesmo assim, acho importante ler, investigar, entender. Enfim, exercitar a mente e a liberdade de expressão.

Mas existem coisas recorrentes sendo discutidas ultimamente – ou talvez sempre tenham sido discutidas e eu que nunca percebi – que me fazem realmente perceber o quanto o ser humano é ilógico. A maioria de nós simplesmente embarca e vai com o restante da “boiada”. Está na moda, é o que basta.

As discussões infindáveis sobre OVNIS, seres extraterrestres, tecnologia ET, etc., me deixam de cabelo em pé. Para que essas pessoas querem que os “governos do mundo” liberem a “verdade” sobre esses avistamentos, contatos, etc.?

Minha gente, percebam – mais de 90% da população terrestre não tem condições, ou não acredita, que são espíritos encarnados. Para eles, morreu, acabou. A maioria esmagadora da população mundial crê em Deus e o Diabo, no Céu e no Inferno, se acha eximida de quaisquer responsabilidades sobre suas próprias vidas. São o que chamamos “crianças espirituais”, vivem sob o véu de maya, na ilusão da materialidade. E gostam disso.

Depois, grande parte deste percentual não tem o que comer, onde dormir, não sabem ler, não tem acesso à Internet, TV, rádio… Entendem a disparidade? Entendem a futilidade total e descabida dessas discussões estéreis?

Nós não deveríamos nos preocupar em discutir, e resolver, o problema da fome no NOSSO mundo? Nós não deveríamos nos preocupar com as milhares de crianças abandonadas, sem-teto, sem pão, sem carinho, no NOSSO mundo?

Que me importa se há outros orbes habitados no Universo, se nós não conseguimos conviver pacificamente entre nós mesmos? Se nós, habitantes da Terra, não conseguimos “falar a mesma língua”, se eu não respeito e cuido do meu irmão terrestre, que dirá de alguém que venha de fora?

Se nós temos preconceito pela cor da pele, sexo, religião, crença, enfim, se nós não conseguimos aceitar as nossas próprias diferenças, imaginem se uma diversidade de mundos e seres se revelasse a nós?

De nada adianta almejar a pós-graduação se você nem cumpriu o ensino fundamental ainda.

Vamos aprender a ser “humanos” antes de querermos ser cidadãos do Universo. Vamos aprender a nos respeitar e a cuidar de nosso planeta com responsabilidade e civilidade. Vamos nos ocupar com a limpeza da nossa atmosfera, com a produção de energia limpa e renovável, com a educação espiritual de nossa população, com a erradicação da fome, do medo e da ignorância.

Nós só almejamos ao espaço, ao oculto, porque aquilo que está de fronte aos nossos olhos é ruim, nos causa sofrimento. Pois se está ruim, devemos resolver – fomos nós mesmos que criamos isso tudo. E agora queremos que alguém venha de fora e limpe a nossa “sujeira”?! Somos 7 bilhões de sonâmbulos… vamos acordar!

Neste dia, tenho certeza, faremos parte da comunidade universal. Por enquanto, somos como um vírus – nós nos multiplicamos e crescemos, e vamos destruindo tudo à nossa volta no processo… Sad, but true.