Menino Buda

Nepal, 2005. Um rapaz de 15 anos diz à mãe e aos irmãos que irá se recolher em meditação pelos próximos 6 anos. Quando a mãe protesta, ele diz que, se não for, morrerá, pois este é o seu destino – ele precisa atingir o grau búdico através da meditação, para então poder trazer sua mensagem ao mundo.

Ele então se senta em meio às raízes de uma árvore na floresta, e ali permanece… Sentado em posição de lótus, ele não abre os olhos, não bebe nem come. Seu irmão mais velho constrói uma verdadeira força-tarefa para manter os curiosos e devotos longe do rapaz. No início são alguns poucos, mas conforme o tempo passa, viram dezenas, centenas, milhares de curiosos. Alguns duvidam, outros idolatram. Muitos querem tocá-lo.

Passados pouco mais de 10 meses desta situação, já existe todo um comércio em volta, pessoas que vendem “santinhos”, DVDs, restaurantes em tendas, romarias… qualquer coincidência com Aparecida, Fátima, ou outros centros de peregrinação NÃO é mera coincidência.

Mas o rapaz se mantém ali, impassível, imóvel. Seus cabelos cresceram, suas unhas também. Alguns dizem que uma cobra aproximou-se e o picou. Alguns viram o sangue. Mas nada aconteceu – ele continua em meditação profunda.

Antes de tomar esta decisão, ele havia fugido de casa e se retirou na Índia, dentro de um dos mosteiros mais rígidos existentes ali. Voltou um ano antes de iniciar seu processo de iluminação e, durante este tempo, segundo relatos da família, ele quase não saiu de casa. Sua mãe diz que ele sempre foi uma criança diferente – não brigava, não xingava, não maltratava nada nem ninguém. Seu irmão diz que ele sempre teve convicções religiosas muito fortes, que ele costumava exortar as pessoas a não fazer sacrifícios animais, porque aquilo era errado.

Em meio ao circo que se formou ao redor do Menino Buda, como é chamado no mundo todo, seu mestre Lama veio da Índia verificar como estava seu pupilo. Ao mestre é permitido passar pela cerca de madeira e proximar-se do rapaz. O Lama senta-se a cerca de 3 metros do menino e ali mantém-se também em posição de lótus, de frente para o rapaz e olhando fixamente para ele. Parece um diálogo, nada é dito, mas os dois parecem conversar de uma maneira que só o espírito compreende. De repente, uma mudança – o menino começa a suar, apesar dos 15ºC de temperatura apenas. O suor escorre de sua testa e desce pelo rosto. É a única alteração vista nos últimos dez meses de meditação do Menino Buda.

O Lama permanece ali por cerca de uma hora, depois se retira. Questionado sobre a transpiração do pupilo, ele diz que existem técnicas especiais de meditação com as quais os monges aumentam a temperatura do corpo propositalmente. O repórter pede detalhes, ele diz que não os pode dar e sorri.

O documentário da Discovery Channel dura pouco mais de 3 horas. Eu tive tempo para assistir os primeiros 45 minutos apenas. Mesmo assim, vale a pena verificar os comentários no vídeo – são “especialistas” do ramo da nutrição e medicina dizendo o que DEVERIA acontecer com o Menino Buda se ele ficasse míseros 4 dias sem comer ou beber nada. E, como ele continua forte, aparentemente sadio, e principalmente vivo, todos são unânimes em dizer que ele deve estar sendo alimentado. Por isso a rede de TV decide plantar uma câmera e filmar o processo durante 4 dias sem parar. O vídeo está legendado em inglês somente.

Como não vi tudo, não sei a que conclusão chegaram, mas sei que é triste verificar como o Ocidente nada sabe, e parece nada querer realmente aprender, sobre a sabedoria milenar desses monges praticantes. Ninguém quer realmente aprender, ninguém quer realmente saber. Porque aprender, saber, mudar, significaria deixar cair por terra tudo que esses “especialistas” sabem, e começar do zero. Seria admitir que nós não somos só corpo. Seria admitir que o corpo humano não é alimentado SOMENTE por vitaminas e minerais, mas também por energia divina, ou prana, como se referem os hindus.

Ao final de 2011, o Menino Buda finalmente emergiu de seus 6 anos de meditação. Segue o vídeo legendado com parte de uma de suas mensagens de 2008:

A tradução deste pronunciamento está na wikipedia, juntamente com a biografia do Menino Buda.

Percebam a profundidade das palavras desse menino. Percebam que, em muitos momentos do vídeo, ele parece receber a mensagem, filtrá-la, e então ele tenta adequar a informação à linguagem falada. Percebam que ele não fala da humanidade – ele fala de TODOS OS SERES SENSIENTES (eu não concordo com a tradução de “sensient” como sensível). “Senciência é a ‘capacidade de sofrer ou sentir prazer ou felicidade’. Não inclui, necessariamente, a auto-consciência.”, segundo definição da wikipedia. Ou seja, inclui aí animais, plantas e minerais, se você acredita, como eu, que os minerais também são formas de vida.

Ele também fala que o mundo libertar-se-á através da filosofia do maitri – a Wikipedia traduz maitri, ou metta, como amor incondicional, amizade, benevolência, boa vontade, carinho, amor, simpatia, união mental íntima e interesse ativo nos outros. Ela também cita maitri como a versão sânscrita de Maitreya, ou seja, o próximo buda a encarnar, que viria continuar a tarefa de seu predecessor, Siddharta Gautama.

Percebam como ele refere-se a outras almas encarnadas, outros budas, que, juntamente com ele, mudarão o mundo através da prática meditativa e do amor incondicional.

Ou seja, há muito o que aprender e apreender somente nestes poucos 7 minutos de discurso deste menino. E, no entanto, ninguém fala disso. Ninguém pede uma entrevista, ninguém noticia, ninguém se importa. Vale mais a pena colocar na TV os massacres, os roubos, os assassinos… do que alguém que recolheu-se em meditação por 6 anos em prol da paz mundial.

Uma pena, não é mesmo?

Ele agora tem 21 anos e alguns dizem que ele é o Buda Maitreya. Se ele é ou não este grande espírito encarnado não nos cabe validar. Mas que ele é especial… isso, para mim, está notório.

Então, neste ano de 2012, escolha diferente. Escolha a Paz. Escolha o Amor. Escolha ouvir a mensagem do Menino Buda. Escolha fazer do seu mundo um lugar melhor para se viver. Namastê!

Anúncios